Feeds:
Posts
Comentários

Archive for setembro \30\-03:00 2010

Já explicamos aqui o quando os ballets russos foram importantes para a história da dança,ne? Então, se você estiver de bobeira, vale  conferir o documentário com os bailarinos!

E aproveite o Festival de cinema do Rio para ver O Último sonho de Pina Baucsh. Fica a dica!

Read Full Post »

Você já deve ter percebido que o clima do nosso verão estará envolvido por muita dança. Pois bem. Acaba de sair do forno a estampa Giselle, inspirada no ballet romântico do século XIX. Aqui no blog a gente mostra um preview das coisas lindas que estamos preparando! Gostou?

Estampa Giselle

Tule de estampa Giselle e elástico aço

Read Full Post »

Já conferiu a programação do Festival de Cinema no Rio? Depois de causar polêmica em Veneza, Somewhere de Sopia Coppola chega ao Brasil e promete ser um dos filmes mais concorridos do Festival. O filme, um triste retrato sobre a fama em Hollywood, consagra a diretora que já ganhou prêmios por outros filmes que a verve curte muito como Maria Antonieta, Encontros e desencontros e Virgens Suicidas.

Programe-se!

Read Full Post »

Novos clássicos

A gente já falou aqui que ama a Edith Piaf. Agora o hit do escritório são os vídeos desse casal fofo que anda rodando o youtube. Eles fizeram uma versão super delicada de La vie en rose e outros clássicos que a gente curte muito como Ain’t no sunshine, Mrs. Robinson, I don’t wanna miss a thing, Beat it. Gravaram ainda uma versão cool de pops como Single Ladies e Telephone. Dica para o fim de semana!

E por falar em clássicos re-gravados, Verve também amou o projeto da Levi’s : Levi’s Pioneer Sessions. Explicamos. A marca de jeanswear está de olho nos cantores e bandas modernês como The Kills e The Shins. A ideia é convidá-los para regravar alguma música de sua lista top 5 particular. Só rendeu coisa boa. Gente de verve é gente que faz.

Entre no site aqui para baixar a sua preferida!

Read Full Post »

Não tinha como a gente fazer uma coleção inspirada em dança sem pensar em Vaslav Nijinsky, Léon Bakst, Sergei Diaghilev e Igor Stravinsky: a trupe que revolucionou a dança abrindo portas para o mundo moderno e experiências corporais e visuais que tanto marcaram a vida cultural do século XX. Estamos falando dos ballets russos que marcaram a década de 20 e encantaram grandes estilistas como Coco Chanel e Yves Saint Laurent.

Nijinsky era a estrela mór. Principal bailarino das obras coreografadas por Diaghlev, ele praticamente nasceu no palco, pois seus pais também viviam dançando e atuando pelos circos e teatros da Polônia.  Diz a lenda que o menino Nijinsky se apresentou pela primeira vez aos quatro anos e não parou mais! Ele marcou a história do balé conciliando muita técnica com um poder de sedução irresistível. A platéia delirava com seus saltos, caras e bocas.

Não tinha como não se envolver. Os cenários chegaram a ter participação de Picasso e Léon Baskt era um artista plástico responsável pelo desenho dos figurinos tão hipnotizantes e revolucionários para a época. Cores fortes versus esmaecidos. Novas formas e novos movimentos. Já dá para imaginar a reação do púbico que estava acostumado a ver os tchutchus rosas de Lago dos Cisnes,ne?


E parece que eles estão fervendo de novo no mundo da moda. O famoso museu V&A acaba de fazer uma exposição Diaghilev and the Golden Age of the Ballets Russes e a vogue inglesa de outubro chegou com um editorial LIN-DO à la ballets russes style. O fotógrafo já é nosso queridinho há algum tempo: Tim Walker.

Se você tem uma viagem a Londres programada, anote a dica. Se vai ficar por aqui mesmo, corra para as bancas e compre a nova edição da vogue inglesa.

Outra dica é o filme ( ainda em cartaz) sobre o romance entre Chanel e Stravinsky que a gente já tinha falado aqui. Coisa intensa e bonita demais!

Quer conhecer mais sobre os ballets russos e os anos loucos? Verve indica o livro “Cadernos de Nijinsky” da editora Francisco Alves.

Read Full Post »

Verve curte:Lisa Hannigan

Read Full Post »

Ele estudou história no Senac e moda no Senai. A especialização em desenho foi na Italia e trouxe referências como Erté, Antonio Lopez, Kojiro Kumagai , do Boris Valejo e J. Carlos. Ganhou vários prêmios, faz desenhos lindos e nas horas vagas, garante suspiros aqui no escritório quando traz referências e conceitos. Falo de Sebatião Raphael, nosso consultor de imagem e responsável pela bela coleção masculina. Estilo é consistência, contundência, coerência, advertência, paciência e persistência; o resto também rima com conceito.” – diz ele.

Falamos sobre Até o fim do mundo e A vida é bela. Escutamos Tom Jobim enquanto ele divagava sobre Grande sertão veredas. Imagens, sons, palavras. “Sou capaz de lembrar do primeiro caco de telha terracota com que  desenhei na calçada  a figura de uma flor. Talvez  aí resida o início de minha poética: é possível construir beleza com o simples mas para tanto é necessário que saibamos ser bastante complexos e dessa mistura talvez nasça o sofisticado, o construtivo e o estético.”

Erté

Além de talentoso, Sebastião é um homem de verve e a gente curte muito. Ao receber o convite para nos dar uma consultoria, não perdeu a piada: “Nunca usei uma lingerie…não sei se por medo ou por coragem.”. Todos riram e partimos para a análise do mix. “Repensar uma idéia de homem faz você se sentir mais homem.”. Além de passar tardes maravilhosas com a gente, ele ainda participou do projeto CIND ERA BELA , UMA REALIDADE FABULOSA,  coordena  o Estilo e Branding da marca Claudia Simões e tem um  Projeto de Reciclagem de Insumos Texteis junto a  Universidade Federal Fluminense.  Como pode perceber, a palavra é movimento.  Então, vamos dançar?

Read Full Post »

Verve indica: O refúgio

8 Mulheres,  Angel, Swiming Pool, O tempo que resta, Os sonhadores. François Ozon tem um olhar perspicaz e sutil, especialmente quando trata de personagens e questões femininas. Seu mais recente trabalho, a comédia “Potiche”, acaba de estrear no Festival de Veneza e “O refúgio” entrou em cartaz essa semana no Brasil com boas críticas!

Assina o roteiro com Mathieu Hippeau, faz um belo estudo de dois personagens que inicialmente são quase teoricamente opostos, mas, aos poucos, encontram a intersecção que os une. A história parece boba: um casal, viciado em heroína, é separado pela overdose. Ele morre. Ela está grávida e precisa cultivar em seu próprio corpo uma reencarnação do namorado.

O filme ganha, no entanto, maior densidade por aquilo que representa, mais do que pelo que mostra ou diz. O que aconteceu entre os recortes das cenas intriga o espectador e o envolvimento de uma mulher com a maternidade. Gerar uma vida é quase mágico e o filme aborda a situação oposta: uma mãe que talvez não queira o bebê.

O filme é poético e intimista, seguindo de perto o amadurecimento de alguns personagens.

Verve recomenda!

Read Full Post »

Best of Flashdance

Para animar a semana!

Read Full Post »

Loja nova: Shopping da Gávea

Agora você já pode encontrar uma loja da Verve no Shopping da Gávea. Pensamos em cada detalhe com muito carinho…esperamos sua visita! 

 

Read Full Post »

Verve curte: Adele Adkins

Read Full Post »

O tema da terceira edição é o medo

“Para dizer medo, digo arma, bloqueios, arames em farpas, memória dilacerada, soterramento gratuito de pedaços de carne, aflição de morrer a esmo, perder o sopro simplesmente por nada, perder do absurdo a explosão colorida, estar fragilmente defronte o fuzil sem rosto, estar calma diante do desespero, estar diante da dor do outro com o vazio nas mãos. Medo, dizer o medo, digo profanações, a ausência de ritual na morte e, na vida, o esquecimento de como se faz a beleza com apenas um átimo de sentimento e ficção” – Roberta Ferraz

Verve já contou aqui que ama a galeria Acervo, não é? Foi lá o lançamento da terceira edição da revista AMARELLO. Editada por Tomás Biagi Carvalho, a publicação, que fala sobre cultura contemporânea,  é temática e desta vez o protagonista dos textos é um sentimento comum a todos nós: o medo.

(mais…)

Read Full Post »

Porte elegante de bailarina e a preferência por clássicos da moda. Apesar da beleza pouco óbvia, Audrey Hepburn tornou-se referência para a palavra “chic” na época em que reinavam musas como Marilyn Monroe, Sophia Loren e Brigitte Bardot.

Sean Ferrer, filho de Audrey e do ator americano Mel Ferrer, define a mãe como um perfeito pacote de imperfeições. “Ela se achava magra demais, não gostava do nariz e achava os pés grandes em relação ao seu tamanho. Acho que o segredo da beleza é justamente não saber o quanto você é especial. É natural.”

Hepburn nasceu na Bélgica, em 1929, e estreou sua carreira na sétima arte em 1948, quando participou do documentário Dutch in Seven Lessons. Provou seus dotes musicais em Funny Face e tornou-se ícone de moda depois do must-see Breakfast at Tiffany’s.

(mais…)

Read Full Post »

Corinne Day para Vogue Japão

27 de agosto de 2010. Perdemos Corinne Day. Verve resolveu fazer uma homenagem à fotógrafa de moda conhecida por ‘descobrir’ a top Kate Moss, mas que deixou uma marca bem mais importante para a história fashion: ela propôs, em plena década de 90,  imagens com aparência documental nas revistas de moda.

Kate aos 15 anos pelas lentes de Corinne para a revista The face

1993: Kate em seu apartamento para Vogue – caráter documental

“Fotografia de moda sempre esteve relacionada à fantasia. Eu queria mostrar o oposto e, por isso, acho que minha melhor contribuição para a moda foi trazê-la para o chão e dar uma qualidade documental para a fotografia. Eu queria propor esse clima para a cultura mais jovem.”

Assim, Corinne abriu as portas para uma nova estética que, aos poucos, foi migrando do mundo artsy para as revistas do mainstream. Ela apostou no chamado “realismo sujo” e descartou o culto à beleza afirmada em 60 anos de fotografia de moda.

Aqui,  algumas imagens de Corinne Day que Verve curte como inspiração da semana! Enjoy.

Read Full Post »

Verve AMOU o site The Self-Portrait. O projeto é simples e divertido: fazer um auto-retrato sozinho ou com os amigos…alguns casais fofos para você se inspirar:

Read Full Post »

Verve para eles

Você sabia que cerca de 80% das cuecas são compradas pelas mulheres? Sim. São elas que definem a underwear de seus namoridos. Verve resolveu, então, facilitar a vida e fazer uma linha de cuecas com bossa e conforto!

Fizemos uma super pesquisa ( com os nossos maridos, rsrs) e desenvolvemos dois modelos bem bacanas com o melhor dos tecidos confort  e elásticos de cores escolhidas a dedo e  sem a logo da marca porque a gente acha isso um pouco chato…

Agora, quando você passar em uma loja Verve poderá resolver a vida do casal em uma tacada só!

Read Full Post »

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: